Artigos e Notícias

CASSI | ESCLARECIMENTOS SOBRE PAF E PAD

By 18 de agosto de 2019 Sem comentários

Com o intuito de informar e levar esclarecimentos a todos os participantes sobre os programas da CASSI, o Movimento Semente da União – MSU divulga a mensagem abaixo, do diretor Satoru, publicada em grupo de nossa comunidade.

Sugerimos cuidadosa leitura.

Mensagem divulgada pelo diretor Satoru

A discussões que vocês estão conduzindo sobre o PAF merecem boa reflexão, e tomo a liberdade de prestar alguns esclarecimentos.

O PAF-Programa de Assistência Farmacêutica foi concebido para atender aos associados e seus dependentes e proporcionar um cuidado coadjuvante na resolução terapêutica de tratamentos diagnosticados.

Ao longo do cumprimento dessa finalidade acabou se tornando, além de sua finalidade terapêutica, um auxílio financeiro aos seus cadastrados, muitas vezes, com maior benefício neste último contexto: Uma ajuda financeira.

É um Programa oferecido pela CASSI além do rol de assistência regulamentado pela ANS, e, nesse sentido, Prezado Saulo, vale a tua inferência de que poderá ser interrompido, caso a CASSI não consiga o aporte financeiro adicional vindo de uma nova proposta para incrementar o seu custeio.

O mesmo raciocínio pode ser aplicado ao PAD-Programa de Atendimento Domiciliar, que foi criado para proporcionar melhores condições de assistência aos pacientes, seja por reduzir os custos com a internação hospitalar, seja para proporcionar melhor qualidade de vida aos pacientes.

Com o passar dos tempos, o PAD acabou se tornando um item de comodidade para os familiares dos pacientes, pois, com a assistência domiciliar, aliviam o ônus de ter que designar alguém como acompanhante no hospital, e também um alívio aos cuidados domésticos que afetam a rotina familiar. E, muitas vezes, os familiares acabam impetrando liminares muito mais para continuar com essa comodidade, do que pensando na resolutividade da doença do paciente.

Em ambos os Programas, considerando todas essas injunções que alteraram as finalidades para as quais foram criados, cabe à CASSI buscar soluções que contemplem todas essas variáveis: prestar a melhor assistência resolutiva aos pacientes; adicionalmente minimizar os óbices aos familiares e acompanhantes que tem seus afazeres para resolver; e, fundamentalmente, que não se torne um ônus ao financiamento do Plano de Associados.

Até dezembro deste ano, quando se encerra o Memorando de Entendimentos pactuado em novembro/2016, os custos com esses Programas estão sendo ressarcidos pelo Banco, porém, a partir de janeiro/2020, não haverá mais esse ressarcimento, portanto, vale a tua observação de que, em não havendo uma nova proposta que aporte recursos adicionais ao Plano de Associados, é possível que ocorra reajustes drásticos neles, e até implicando em suas extinções.

Mas é nosso dever, antes de admitir o pior, resgatar as premissas originais que instituíram tais programas, que é justamente o que a CASSI tem feito neste último ano.

O que vem a ser isso, o resgate dessas premissas originais do PAF e do PAD?

O PAF não foi concebido para ser um reforço financeiro, ou um alívio no caixa dos associados, mas ser um coadjuvante no tratamento terapêutico do paciente.

E é isso que estamos trabalhando para resgatar.

O Dr. Paulo Rogério, Gerente de Saúde, em conjunto com sua equipe e todos os intervenientes da CASSI estão desenvolvendo um novo modelo assistencial, baseado na APS-Atenção Primária à Saúde, pedra angular da ESF-Estratégia de Saúde da Família, após estudos já concluídos neste primeiro semestre sobre o perfil epidemiológico de todos os 668.mil participantes de todos os Planos, Plano de Associados, CASSI Família e CASSI Funcionários, no qual o PAF e o PAD atuarão efetivamente como coadjuvantes dos respectivos tratamentos terapêuticos dos pacientes.

Foram desenvolvidos protocolos de atendimento com base na APS, neste momento sendo testados nas CliniCassi do DF, e instituídas cinco linhas de cuidado para proporcionar a atenção integral à saúde dos participantes.

O PAF e o PAD serão inseridos transversalmente em etapas definidas desses protocolos e linhas de cuidado, de modo que as premissas originais de atuação como coadjuvante centradas no cuidado do paciente serão resgatadas.

Quanto ao PAD, cabe informações adicionais, pois, na modalidade “internação domiciliar” através do novo modelo de remuneração baseado em “diária global”, além de todos os ganhos já mencionados, haverá a redução de custos por ser bem inferior à internação hospitalar, bem como proporcionar melhor qualidade de vida aos pacientes, com o ganho adicional por não ficarem expostos a infecções hospitalares.

Assim, será perfeitamente possível vislumbrar que esses dois Programas, ao cumprirem as premissas originais de sua criação, continuem sendo oferecidos pela CASSI, mesmo que sejam benefícios fora da rol estabelecida pela ANS.

Trabalho é o que importa, Prezado Saulo e demais Colegas deste Grupo MAIS UNIÃO RS.

Vamos continuar trabalhando, pois só assim a CASSI será resgatada de sua crise, cuja crise momentânea servirá como aprendizado para sairmos mais fortes à frente.

Forte abraço a todos
Satoru