O Conselho de Usuários da CASSI do Estado do Paraná, após reuniões extraordinárias e ordinárias, encaminha proposta com parâmetros para negociações com o patrocinador Banco do Brasil e ainda sugestões de ações que, no nosso entendimento, podem ajudar no equilíbrio financeiro da CASSI.

Nosso objetivo é contribuir com propostas efetivas para uma negociação que proporcione uma solução de longo prazo e que de fato traga equilíbrio financeiro para a CASSI.

AÇÃO EMERGENCIAL

                               Dada a urgência da situação financeira da CASSI e para que a governança da CASSI tenha tempo para implantar ações saneadoras, propomos distribuir o déficit na proporção de 40% para associados e 60% para patrocinador, cobrando o novo percentual, por 1 ano, como CONTRIBUIÇÃO TEMPORÁRIA. Nesse período, as diretorias poderão implantar ações para adequar custos e avaliar o resultado,  mesmo que em projetos pilotos.

                               Entendemos que essa proposta é viável para o Banco porque o Art. 16 da Resolução no. 23 da CGPAR garante o direito adquirido e a proporcionalidade é um direito adquirido.

Art. 16 “Respeitado o direito adquirido, as empresas estatais federais deverão adequar seus normativos internos, de forma a deixá-los em conformidade com esta Resolução.”

PARÂMETROS PARA NEGOCIAÇÃO

  1. Taxa de administração de 5% – Transformar em permanente a taxa de contribuição constante na segunda proposta do BB. O valor da taxa deve ser investido em projetos definidos pela governança e para recompor o fundo de reservas. Nossa sugestão para os primeiros 5 anos é investir na implantação de um novo sistema de informação, na ampliação da Estratégia Saúde da Família e na ampliação das CliniCASSI.
  2. Novas diretorias. Redistribuir as atividades (antigas e novas proposta pela consultoria) entre as Diretorias já existentes. Fazer uma reestruturação para distribuir melhor as atividades, os executivos e os funcionários. Sem aumento de quadro e sem voto de qualidade.
  3. Profissionalização – Implantar processo seletivo e modelo de concorrência com parâmetros necessários para atuação, em todos os cargos da CASSI.  Dessa forma, não haverá mais indicações para cargos na CASSI, inclusive executivos. O Banco e os eleitos indicarão somente membros da Diretoria e dos Conselhos.  Desde que se enquadrem nos parâmetros das oportunidades, poderão concorrer funcionários do BB da ativa e aposentados e funcionários da CASSI.
  4. Grupo GDI –  Buscar negociação com o Banco, porém somente após cálculo atuarial deste grupo, realizado pela SALUTIS. Para compensar eventual risco de agravo da carteira no tempo e mais a administração, fazer negociação com, pelo menos, 10% superior ao cálculo atuarial.
  5. Co-participação – manutenção do parâmetro atual. Após implantação da Estratégia de Saúde da Família nas localidades onde não há CliniCASSI, estudar a possibilidade de isentar os associados que estão cadastrados e que usam a rede credenciada, após indicação do médico de família.
  6. Percentual de Contribuição – Alterar a redação da forma de contribuição no Estatuto da CASSI, retirando os valores absolutos 3 e 4,5% e inserindo a proporção 40% e 60%.


AÇÕES QUE PODEM AJUDAR NO EQUILÍBRIO FINANCEIRO DA CASSI

 

  1. Sinistralidade (relação gastos/receitas) – Há grande disparidade de sinistralidade entre os Estados. Precisamos investir nos locais com maior percentual de sinistralidade, adequando os custos. Sugerimos a criação de um “Grupo de Trabalho”, com poder de negociação, para implantar soluções que gerem economia e aprimorar o modelo negocial com prestadores.
  2. Porta de entrada – Instituir porta de entrada. Iniciar nas localidades com maior problema de déficit/maior sinistralidade.
  3. Estratégia Saúde da Família (ESF) – ampliar o modelo para os locais onde não há CliniCASSI, utilizando médico de família credenciado para gerenciamento de um grupo de associados, dependentes e pensionistas (modelo de carteira).
  4. Reestudar a regulação, instituindo parâmetros mais rígidos.
  5. Criar sistema que envia SMS ao associado, com possibilidade de contestação, toda vez que houver uma autorização de procedimentos ou consultas.
  6. Ao se aposentar a contribuição não poderá ser inferior a que estava sendo paga na ativa.
  7. Criação de um Plano CASSI Família Regional e/ou local, com objetivo de oferecer plano mais econômico e assim ampliar o número de adesões ao Plano CASSI Família.
  8. Plano de comunicação – desenvolver um plano de comunicação dirigida sobre Sistema Saúde da CASSI, com objetivo de divulgar informações e orientações aos associados da Cassi para utilização do sistema de saúde, de uma forma racional e sustentável.

O Conselho de Usuários da CASSI do Estado do Paraná continua a disposição para discutir soluções para nossa CASSI.