O Grupo “Mais PREVI Mais CASSI“, e o Grupo Movimento Semente da União-MSU” consideram da mais alta relevância esta troca de mensagens ocorrida neste grupo REDE-SOS que, em suma, questionam o que os associados da PREVI e da CASSI podem e devem fazer para que nossas referidas entidades sejam conduzidas da melhor forma possível, com vistas a atender integralmente os compromissos que têm conosco.

Resumindo, o colega Flávio da Rosa disse em 17/10/2017: 

“Tanto no nosso caso particular como na política brasileira a situação é a mesma, os que estão lá “não largam o osso”, os que estão fora não se interessam. Resultado? Fica tudo como está e ainda piorando um pouco”.

Em 18/10, a Daisy Saccomandi respondeu com muita propriedade e correção e disse, dentre outras coisas que:

“É interessante que os colegas insistem em dizer que não há opções, mas qdo aparece uma chapa com novos nomes, dizem que não conhecem as pessoas e votam nas chapas compostas por nomes conhecidos, ou seja, acabam votando nos mesmos.

“Além do quadro descrito acima, temos ainda uma resistência incompreensível da maioria dos colegas em participar mais ativamente na multiplicação de notícias. O nosso grupo REDE-SOS existe há mais de 8 anos e não foram poucos os apelos para que os seus integrantes se esforçassem na busca de outros colegas para virem se juntar a nós, além de pedidos para que cada um fosse em busca de somente 10 destinatários para o repasse das notícias (principalmente entre os ativos, nas agências de relacionamento de cada um). No entanto, a solicitação foi atendida por ínfima parcela dos participantes do grupo.

O colega Faraco manifestou concordância com a Daisy e disse:

Concordo em gênero, número e grau com as colocações feitas pela Daisy. Enquanto não sairmos dos discursos, das chiadeiras, e partirmos para a ação efetiva e focada nada mudará. Sem sairmos de nossa zona de conforto não temos o direito sequer de reclamar. E tem que ser já, não dá para postergar.”

A colega Elaine Fanaia de Oliveira disse:

Eu concordo. Mas o que devemos fazer??? Como reverter esses abusos???”

A pergunta da Elaine vem sendo feita por grande número de colegas. Pode-se dizer que é a “pergunta que não quer calar” da grande maioria entre todos os associados, embora não manifesta, mas latente nas diversas opiniões que colhemos quando conversamos sobre o atual cenário desastroso da CASSI, e situação preocupante da PREVI.

Como reverter a situação?

A resposta é imediata: substituir os grupos que vem ganhando as eleições e se alternando no poder há mais de 20 anos.

Para viabilizar essa resposta, o grupo MSU vem trabalhando há anos e outro grupo de colegas aposentados e da ativa sentiu-se na obrigação de criar o Grupo MAIS. Ambos se dispuseram a estudar a fundo os problemas existentes nas nossas instituições e encontrar soluções efetivas.

Assim, a missão dos Grupos MAIS e MSU é atuar na defesa dos interesses dos associados para garantir a perenidade da PREVI e CASSI, independente de vínculos ideológicos, político-partidários, tampouco com o governo ou o patrocinador BB, embora reconheçam que sem o Banco, não haverá nem CASSI, nem PREVI.

E para levar adiante essa missão necessitam contar com a efetiva e decisiva participação de cada associado das nossas instituições mencionadas.

A resposta imediata que podemos oferecer à colega Elaine Fanaia de Oliveira é que a luta de todas as instituições mencionadas acima, e que vem transitando pela REDE-SOS e demais redes sociais atuando em prol das nossas casas, NÃO FORAM EM VÃO.

Todos esses movimentos não vinculados às correntes ideológicas, político-partidárias amadureceram ao longo dos anos e chegou a hora de colher os frutos do que foi plantado!

É hora de unificar todos esses movimentos e eleger para as Diretorias e Conselhos, das duas casas, pessoas com competência técnica e dispostas a cumprir a missão maior: DEFENDER ÚNICA E EXCLUSIVAMENTE O INTERESSE DOS ASSOCIADOS E GARANTIR A PERENIDADE DA CASSI E PREVI!

O Grupo MAIS, em parceria com o MSU, vem convidando lideranças de outros movimentos e entidades dispostos a assumir essa missão, sem se submeter a correntes ideológicas, político-partidárias, governamental, ou ao patrocinador BB.

É preciso traduzir em números as perspectivas futuras que fazem os Grupos MAIS e MSU acreditarem que esse é o momento da virada. É preciso retirar do poder os dois grupos majoritários que vem ganhando as eleições, nas duas casas, há mais de 20 anos, é hora de substituir esses grupos que produziram esse caos.

Vamos redobrar os esforços, cada um de nós, para trazer os aposentados e pensionistas à arena de luta em prol da CASSI e PREVI, de modo que alcancemos pelo menos 50% de votantes, pois nas últimas eleições o comparecimento desses associados tem sido menor do que 30%.

E vamos – fundamentalmente – conquistar corações e mentes do pessoal da ativa, pois são eles que estão definindo as eleições, ou seja, maculando sem culpa esse enorme paradoxo: os jovens funcionários da ativa do Previ Futuro estão decidindo a vida dos aposentados e pensionistas do Plano 1…

A luta deve continuar com mais vigor! E é de cada um!

E é preciso, desde já, conversar com todos os nossos conhecidos aposentados e pensionistas que estão alheios e conquistar os corações e mentes do pessoal da ativa!