A contraproposta elaborada pela Diretoria Executiva da CASSI foi apresentada ao Conselho Deliberativo no dia 20/06, com a presença de todos os Conselheiros eleitos e indicados, exceto Gustavo Fosse (indicado) e Pizzeta (eleito), e todos os Diretores da CASSI.

A contraproposta apresentada é um estudo elaborado pelos técnicos da CASSI, com participação dos Gerentes médicos, Dr. Paulo (SP), e Dra. Lourdes (PR), e do Gerente de Unidade de MG, Sr. Ewerton.

Esse Grupo analisou as propostas do Banco e a apresentada pela Mesa de Negociação, bem como as diversas contribuições de diversas outras entidades e associados que se manifestaram pessoalmente ou através das redes sociais.

​​O estudo propõe a participação do Banco com 60%, e os associados com 40%, contudo, não houve consenso quanto a forma de cobrança, ou seja, não houve consenso quanto à cobrança por dependentes.

O estudo não altera a governança da CASSI, ou seja, permanecem os quatro Diretores, dois indicados e dois eleitos, sem qualquer acréscimo.

Está sendo solicitado ao Banco um aporte de recursos, imediatamente, de cerca de $750.milhões, envolvendo o GDI (valor provisionado sobre esse Grupo de Dependentes Indiretos), 10% de taxa de administração e ressarcimento da fopag dos Diretores e Conselheiros, além de outros valores. Tal recurso é necessário – JÁ – para cobrir o índice de solvência e garantir a liquidez do fluxo de caixa.

Muda bastante as funções das Diretorias e Gerências, de acordo com os requisitos técnicos definidos pelo grupo, de modo a contemplar as competências médicas no nível estratégico e na gestão da rede própria e credenciada.

Também foi proposto a criação de um cargo de Gerente Geral específico para TI, para conduzir os assuntos relacionados à tecnologia, sem aumento de custos.

Próximos passos:

Conforme deliberado pelo Conselho Deliberativo, a Diretoria Executiva da CASSI irá encaminhar esse estudo, ou contraproposta para apreciação do Banco, pois é muito diferente do que está sendo divulgado, com retorno para 02/07/2018.

No dia 26/06, apresentaremos o estudo aos representantes da Mesa de Negociação, bem como ao grupo técnico sob coordenação da ANABB, de modo que todas as entidades e sindicatos tomem conhecimento do referido estudo, e possam trazer suas contribuições.

A data limite estabelecida para as contribuições, tanto por parte do Banco, como pelas entidades, é 02/07/2018, tendo em vista que é urgente que o produto final seja aprovado pelo Conselho Deliberativo ainda na primeira quinzena de julho, para que possamos levar à votação do Corpo Social em agosto.

Qual o motivo de tanta urgência?

A cada mês que deixamos de aprovar a proposta, nosso déficit estrutural médio mensal cresce cerca de R$ 80.milhões. Em maio/2018, balanço ainda não fechado, a estimativa é de déficit de $360.milhões acumulados no período.

Quanto antes aprovarmos a proposta final, mais cedo estancaremos o déficit estrutural.

Por enquanto é o que podemos adiantar.